11 de mar de 2007

Rui Barbosa e a vergonha de ser honesto


Outro dia estava no Orkut, no fórum de uma comunidade, quando li o desabafo de um internauta, indignado com os rumos do Brasil. Depois de citar vários crimes cujos autores ficaram (ou ficarão) impunes, indo de fraudes na Previdência até o recente assassinato do menino João Hélio, ele disse o seguinte:

"Errado sou eu que acordo às 04:30 da manhã para ir trabalhar, pago IPTU, CPMF, IPVA e outras merdas por aí. Bem feito pra mim, quem mandou eu ser honesto."
Imediatamente me lembrei de uma famosa citação de Rui Barbosa (1849-1923). Eu não tinha maiores informações sobre o contexto no qual a frase foi proferida, mas as palavras do imortal (ele presidiu a Academia Brasileira de Letras) foram estas:

"De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto."
Resolvi pesquisar na Internet e encontrei a Fundação Casa de Rui Barbosa, que possui vários textos completos do autor, disponíveis online. Lá, encontrei a transcrição do texto em questão, incluindo os apartes dos outros senadores, os gritos de "muito bem!" e os comentários da mesa diretora. Eis aqui o texto integral:


Rui Barbosa fez este desabafo em 17 de dezembro de 1914, ao defender seu Requerimento de Informações sobre o Caso Satélite. O Caso Satélite, segundo palavras do próprio senador, foi uma chacina de presos. A impunidade dos assassinos confessos, depois de quase 4 anos decorridos do crime, foi o que motivou Rui Barbosa a fazer o Requerimento. Eis uma descrição do fato e o motivo da solicitação de informações:

"Oito ou dez assassínios, praticados gratuitamente, estupidamente, covardemente, barbaramente, contra oito ou dez homens inermes, no convés de um navio mercante, durante uma expedição armada pelo próprio Governo, pelo agente da força pública a quem o Governo entregou a guarda, a segurança e a conservação desses mesmos homens.

Se, portanto, o Governo não queria o crime, se o Governo não é quem tinha autorizado esse crime, se o Governo sentia diante desse crime a repulsão que todos sentiram, não era lícito a esse Governo hesitar um só momento, em instaurar processo ao criminoso."
A seguir ele comenta que há um fato novo: um dos "assassinos confessos" alegou ser inocente e solicitou a instauração de um inquérito -- exatamente o que Rui Barbosa estava pedindo. Antes do desabafo anteriormente citado, ele diz:

"Se o Tenente Melo pede o Conselho de Guerra é porque tem consciência de possuir elementos com os quais julga poder estabelecer a sua defesa.

Ignoro qual seja, mas o que o público inteiro acredita e o que é lógico em face dessas circunstância, lógico, de uma lógica irresistível, é que o que se receia é a defesa do Tenente Melo, que o que se teme é que aquela boca se abra, é que aquele acusado se defenda. E se isso é o que se teme, é porque há grandes criminosos, criminosos maiores, cuja responsabilidade há grandes interessados em salvar."
A Chacina do Satélite ocorreu em 1914. Quase um século se passou e a impunidade no Brasil continua a mesma.

20 comentários:

Fleming disse...

Parabéns..
pelo comentário muito bem situado, pela lembrança de um gigantesco homem público. E pela lembrança oportuna neste tópico

albrecht disse...

Opa, tudo bem?
Li seu comentario no post do linux-br, tais vendendo o mesmo o AIMA? Eu me interesso, mas como sou estudante nao da para comprar um novo... mas usado é sempre uma alternativa :-) Como podemos negociar ?

Masao disse...

é o famoso jeitinho brasileiro.
Como uma pessoa fica rica no Brasil?
R.: política.
Ou você torna-se político, ou fica amigo de político.
Emqualquer das duas opções tanto faz a sua profissão/formação. Estando perto ou dentro da política é um caminho certo do dinheiro.
E a gente ainda tem a cara de pau de reclamar da corrupção no governo.
P.S. (é lindo e ao mesmo tempo triste que o lendário rui barbosa já havia percebido isso, há muito tempo atrás)

Anônimo disse...

Rui Barbosa tinha tanta vergonha de ser honesto que não o foi (como diria o próprio, em seu português impecável).

pesquise no google com os termos "política do encilhamento" e descubra por si mesmo do que estou falando.

Alexsander disse...

Dois pontos sobre as acusações a Rui Barbosa:

1º) É uma falácia "ad hominem"; ao invés de atacar o argumento, se ataca o homem. É atacar a mensagem ao invés do mensageiro. Pergunto: a frase famosa fica INCORRETA se Rui Barbosa tiver sido desonesto?

2º) Pesquisei sobre o assunto e não vi consenso: há quem ache que ele foi apenas desastrado (ou ingênuo) ao criar o "encilhamento". Não parece haver provas de que ele também tenha lucrado com o golpe no mercado financeiro que ocorreu na época.

mtislav disse...

Uma amiga carioca mandou para mim uma cansão : “falas de Cleide Cansao e Rui Barbosa”. Então, fui no Google com a pesquisa “Rui Barbosa tem vergonha” até na casa do senhor... Faz uma semana, entrei numa polemica com uma menina francesa (eu também) que conhece o Portugal e o Brasil. O ponto era saber si tem uma classe media num Brasil. No final, dizia para ela que os Brasileiros (ricos) deveriam ter vergonha...

E interessante de ver que R. Barbosa da a pensar no Brasil agora. Bom-dia de um franco-brasileiro

Anônimo disse...

Rui Barbosa veio da Bahia sem tostão. No Imperio foi Conselheiro do Imperador e continuava remediado. Curiosamente, após o golpe da Republica que ele maquinou mas não alardeou a participação, ele fez o encilhamento, destruiu o PIB do Brasil que regrediu 20 anos, fez o tão sonhado acordo comercial com os EUA , pleiteado por 50 anos(por eles)e não vendemos nem 1kg de açucar como era previsto. Depois de tudo comprou a mansão de 2.000m2 de Botafogo que pertenceu à Thomas deLarue, que por acaso ganhou dele um contrato de fabricação de dinheiro por 50 anos. Quanto será que isso valeu? Morreu riquissimo. Sempre que esbarrava em Rui, o Barão Carlos de Laet dizia em alto e bom som: "Rui Barbosa, o Conselheiro que aconselhou mal o seu aconselhado" . A minha pergunta é: Quem é o ingenuo, ele? ou nós? raciocinem bem, antes de acreditar no que as pessoas QUEREM que voce acredite. Mesmo 100 anos depois.

Alexsander disse...

Isso é um ataque ad hominem, Sr. Anônimo. Não está em discussão o caráter ou a moralidade de Rui Barbosa, mas a pertinência daquela frase. Ainda hoje, no Brasil, é vergonhoso ser honesto.

Joe Edman disse...

O nosso querido Sr. Anônimo aí provavelmente é um desonesto também. Faz parte da estratégia dos desonestos deste país fazer com que a honestidade se torne algo errado e incoerente. O objetivo é fazer a desonestidade ser trivial, banal e algo tão comum que nem seja passível de punição. Aí então a profecia do (também desonesto, porque não?) Rui Barbosa está cumprida. E isso confirma ainda mais sua frase! O Sr. Anônimo aqui é nada menos que a prova...

Rubens Parizio disse...

Ainda hoje, no Brasil, é vergonhoso ser honesto.
http://minhasartesrubensparizio.blogspot.com/

Hana disse...

Neste momento estou fazendo uma pesquiza e acabei conehcendo seu blog, eu volto para reler seu post antigo, pois muito me interessa seu blo, pela cultra e pela riqueza que aqui encontro.
com carinho
Hana

perseu e cia. disse...

Olá, Alexsander.
Postei este seu texto numa lista de que participo e ele foi questionado, qto à vercidade do fatos referentes a Rui Barbosa e o caso da Chacina do Satélite. Fui verificar suas fontes (Casa Rui Barbosa) e nada encontrei, como tb não encontrei nada em canto nenhum onde pesquesei. Pode por favor, me remeter à fonte onde possa obter essas informações?
Grata
fatima

Anônimo disse...

DEBAIXO DO CÉU TUDO É VAIDADE... ATÉ A HONESTIDADE.

Anônimo disse...

Responda me se puder, qual o ser humano nascido de homem e mulher já provou a corrupção, qual ser é honesto? maldito do homem que confia no homem, toda humanidade é falha, pois é carne, matéria dirigida por seres imundo das trevas, por isso a cegueira está estampada em nossos representante políticos e as autoridades dos três (03) poderes constituidos

Alexsander disse...

Perseu, corrigi o link.

NOVA ORDEM disse...

Gostaria que me informasem os admiradores do Sr. Barbosa, se eles tem ideia de como ele acabou sendo proprietario do palacete em Botafogo que pertencia a uma Baronesa e estava alugado à Thomas de La Rue, fabricantes de papel moeda, que por coincidencia, na gestao do Sr. Barbosa no ministerio da Fazenda, levaram uma concessão de fabricação por 50 anos do dinheiro do Brasil. Será que essas coincidencias que hoje são tão comuns nos nossos governos , ja eram também na´época?

Mário José da Silveira disse...

Prezados amigos:
Como comentaristas e também debatedores, todos até agora tem demonstrado muita inteligência, e eu vos parabenizo por isso.
Mas, agora quero manifestar a minha opinião:
É muito difícil conhecer-se uma verdade cabal, ainda mais, tratando-se de assuntos polêmicos e ora jacentes no túmulo do tempo. São fatos ocorridos há cerca de um século. Vemos que até hoje, apesar da vastidão de informações da qual dispomos, muitos casos de corrupção ainda não são elucidados, e quando já são considerados como encerrados e sentenciados, ainda são dignos de contestação.
Todas as informações que conseguíssemos hoje, compilando os mais consagrados textos, ainda seriam insuficientes na busca desta verdade, porquanto os jornais e livros da época, nunca foram totalmente imparciais. E nunca serão.
Todo livro, jornal, radio, televisão, internet ou qualquer outro meio de comunicação tem sua parcialidade, e isto ocorre porque há uma infinita diversidade de ideias e pontos de vista.
Quero terminar, expondo um apotegma:
“NA POLÍTICA NINGUÉM É COMPLETAMENTE VERDADEIRO, MAS, TAMBÉM NINGUÉM É TOTALMENTE MENTIROSO”.

Nilza disse...

Independente do que aconteceu ou não aconteceu, as palavras de Rui Barbosa não perderam a beleza e continuam atuais. De muito bom gosto a escolha do tema. Quando usamos dos meios de comunicação para denegrir a imagem de quem quer que seja, é porque temos total conhecimento de causa e provas cabais e não tão somente algo que encontramos aqui e acolá. Alexsander Rosa, concordo com você em relação a pertinência da frase. Parabéns por sua sensibilidade e pela divulgação desta frase famosa.

Anônimo disse...

Senhores, não sei dizer se Rui Barbosa foi um desonesto.
Sei que foi político, sei que foi advogado de sucesso.
Se pensarmos hoje em advogados de sucesso, de renome nacional, veremos alguns que ficaram ricos e que não podem ser alcunhados de desonestos.
Então, considerada a capacidade de Rui Barbosa, até prova cabal em contrário, prefiro crer na sua honestidade.

Anônimo disse...

Cem anos depois e a história se repete... Casos de corrupção impunes cada vez mais fazem parte da nossa história, mas agora mais constantes do q nunca. Vergonha. Pena que a maioria do nosso povo não partilhe da mesma indignação.