5 de jun de 2017

Teste da Mega Sena

Monopólios x Livre Mercado

Faz tempo que eu falo num hipotético "Teste da Mega Sena", um exercício lógico para identificar o quanto a intervenção estatal cria e mantém monopólios. O enunciado seria mais ou menos assim:

Se você ganhasse sozinho R$ 200 milhões na Mega da Virada e resolvesse criar uma empresa para enfrentar um monopólio ou oligopólio existente, o governo deixaria?

Telefonia Celular: em Porto Alegre a Vivo tem 250 Estações Rádio Base. Cada ERB custa em torno de R$ 300 mil, ou seja, a parte mais cara do negócio custaria 1/3 do seu capital inicial. Quem iria impedir você de vender planos com 4G ilimitado a R$ 40/mês? O governo, através da Anatel.

Transporte Público: um ônibus urbano custa cerca de R$ 300 mil. Se você desenvolver um APP para pegar passageiros de forma otimizada, quem vai impedir você de cobrar R$ 2 de passagem? O governo, através da Prefeitura. Bônus: quem vai impedir seus passageiros de usar o Vale Transporte? O dinheiro sai das empresas e vai direto para o cartel, novos players (se pudessem existir) não teriam acesso a este dinheiro. Mais uma vez é o governo que mantém o monopólio.

Emissora de TV: nosso espectro eletromagnético é subutilizado: há bastante espaço para novos canais de TV. Com menos de R$ 1 milhão você compra o equipamento de transmissão e pode investir o resto em estúdios, elencos, etc. Quem vai impedir você de fazer um canal pra concorrer com a Globo, cobrando bem menos por comerciais de 30 segundos? O governo. O Brasil, aliás, deve ser o único país do mundo que exige a assinatura do presidente da república numa concessão de TV.

19 de set de 2016

Se eu fosse... Secretário Estadual de Segurança


Se eu fosse Secretário Estadual de Segurança consultaria a Procuradoria Geral do Estado para ver se as medidas abaixo seriam possíveis. Sendo possíveis, as medidas seriam anunciadas numa coletiva:

  1. Em virtude do aumento de crimes que violam os direitos fundamentais à Vida, Liberdade e Propriedade, e em respeito ao caput do Art. 5º da Constituição Federal de 1988, estou determinando que as Polícias (civil e militar) passem a priorizar os crimes de homicídio, sequestro, estupro, roubo à mão armada e demais crimes que coloquem em risco - mediante violência ou ameaça - a vida, liberdade e propriedade dos cidadãos.
  2. Com isso estou desativando os departamentos que tratam de crimes que envolvem Trocas Voluntárias, incluindo contrabando, drogas, jogos de azar e outras condutas que não apenas são impossíveis de impedir - a Guerra às Drogas fracassou - mas também desperdiçam recursos públicos e expõe os agentes à corrupção. Os policiais destes departamentos serão realocados para departamentos que tratem dos crimes listados no item anterior.
  3. Os detentos com bom comportamento que não estejam condenados, sendo julgados ou investigados por crimes do item 1 (contra vida, liberdade e propriedade) terão suas penas convertidas em semi-aberto ou similar, visando a redução da população carcerária. Estima-se que a população carcerária poderia ser reduzida em pelo menos 25% com esta medida.
  4. Os presídios serão reestruturados, separando os detentos conforme a gravidade do crime, na ordem: 1) vida, 2) liberdade e 3) propriedade. Os homicidas, por exemplo, devem ficar nos presídios de Alta Segurança, que serão equipados com equipamentos modernos. Mesmo com a redução da população carcerária pode ser necessário converter alguns dos presídios atuais para Alta Segurança (além de melhorar os que tiverem sido rebaixados para Média Segurança). Da mesma forma, crimes como Furto (Art. 155) ou Estelionato (Art. 171) (Código Penal de 1940) devem ter seus condenados alocados em presídios de Segurança Média ou inferior.
  5. Os policiais militares que fazem patrulhamento ostensivo serão orientados a dar prioridade aos crimes descritos no item 1, somente atendendo ocorrências de crimes menores quando não houver nenhum crime do item supracitado ocorrendo ou sendo averiguado no momento - ou seja, somente quando o estado estiver seguro. O foco é manter a população segura; crimes sem vítima (não, a "Sociedade" não conta como vítima) não podem competir em prioridade com os crimes com vítima.

8 de jul de 2014

Gastos dos turistas no RS - Copa do Mundo

O governo do RS estima que a Copa trouxe R$ 1,05 bilhão para o estado. A conta deles é simples: 350 mil turistas x R$ 3.000 de gasto médio de cada. Segundo o governo estes 350 mil turistas se dividiram em 160 mil estrangeiros e 190 mil brasileiros de outros estados.

Primeiro problema: nos 5 jogos o Beira-Rio recebeu 214.969 torcedores. Portanto esta estimativa de 350 mil supõe mais de 130 mil torcedores sem ingresso. Tivemos sim uma invasão argentina, mas será que todos estes gastaram R$ 3.000 cada, inclusive os que acamparam no Parque do Harmonia?

Além disso, a própria FIFA informa que vendeu mais de 70% dos ingressos para brasileiros. Os 30% restantes resultam em 64.500 estrangeiros no Beira-Rio nos 5 jogos, supondo que NINGUÉM tenha visto mais que um jogo. Por esta conta os estrangeiros sem ingresso são menos de 100 mil, o que parece ser mais condizente com a realidade. Ou são os argentinos, ou alguém veio da Europa com a esposa, foi ao estádio e a deixou no quarto do hotel...

E quanto aos brasileiros: pelas contas da FIFA foram cerca de 150 mil no Beira-Rio. Quantos eram gaúchos? A julgar pela quantidade de camisetas de Grêmio e Inter, pelo menos 1/3 (uns 50 mil). Sobram 100 mil de outros estados, bem menos que os 190 estimados pelo governo. E será que todos eles gastaram R$ 3.000, incluindo quem fez bate-e-volta vindo de Santa Catarina?

Sem contar que este "gasto médio projetado" de R$ 3.000 por turista parece exagerado. Outras sedes trabalharam com valores bem menores: em Brasília o valor foi R$ 1600 por turista (R$ 400/dia em 4 dias).

12 de set de 2013

A Declaração de Bernstein

A Declaração de Bernstein

Sobre os Princípios e as Possibilidades do Capitalismo


O Capitalismo é o único sistema baseado no reconhecimento de que cada indivíduo é dono de sua própria vida. O Capitalismo é o único sistema social no qual os indivíduos estão livres para perseguir o seu auto-interesse racional, possuir propriedade, e tirar proveito de suas próprias ações. Ele tem como âncoras os direitos individuais, o governo limitado constitucionalmente, e a liberdade política/intelectual/econômica.

Quanto mais capitalista uma cultura – maior sua liberdade e prosperidade

Este é o veredicto da História. Em somente dois curtos séculos, o capitalismo levantou os níveis de vida da humanidade para alturas nunca sonhadas na era pré-capitalista. Freqüentemente esquecido hoje em dia é o fato de a Europa Ocidental, antes da revolução capitalista do final do Século Dezoito, sofrendo sob a dominação política da aristocracia feudal, ter sido o equivalente a um país do Terceiro Mundo – assolado pela fome, pragas recorrentes, e a mais absoluta pobreza. Mas não é mais assim.

Quando foi a última vez que a fome em massa ocorreu numa nação capitalista – seja na Europa Ocidental, América do Norte, ou Ásia ? Os Estados Unidos da América nunca sofreu de fome em massa em toda a sua história. O Capitalismo criou uma abundância sem precedente na história humana habilitando centenas de milhões a viverem melhor hoje do que todos os reis do passado.

Menos Capitalismo significa mais miséria humana

Mas as nações não capitalistas – as ditaduras fascistas, socialistas, militaristas ou teocráticas – escravizam seus próprios cidadãos e subsistem numa miséria abismal. O padrão de vida em muitas nações africanas é de cem a duzentos dólares americanos por ano. Na Coréia no Norte pessoas morrem de fome pelas dezenas de milhares. Em Cuba eles se afogam tentando nadar para a liberdade nos Estados Unidos. Milhões de pessoas oprimidas ao redor do mundo anseiam emigrar para o Mundo Livre. Mas quem nas nações capitalistas procuram emigrar para o Camboja ?

O que torna possível o sucesso impressionante do Capitalismo ?

Quais são os princípios que explicam o fato de que as maiores invenções e obras de arte da humanidade – os avanços materiais e espirituais que mais promoveram a vida – a máquina a vapor, o cinema, o telégrafo, o telefone, a luz elétrica, a novela, o automóvel, a sinfonia, o avião, o rádio, a televisão, o computador pessoal, a Internet, e incontáveis curas médicas – foram criados sob o Capitalismo ?

A resposta simplesmente é: LIBERDADE.

Quando os homens estão livres para perseguir seu auto-interesse racional, quando eles estão livres para usar suas mentes na procura do lucro e do melhoramento de suas vidas, eles são magnificamente produtivos. A liberdade política e econômica do Capitalismo libera as melhores mentes e os homens mais ambiciosos para construir, criar, inovar, inventar, e promover a felicidade e o bem estar humanos.

O maior inventor da humanidade, Thomas Edison, em seu laboratório em Menlo Park, customizava seus projetos especificamente com o objetivo da lucratividade. Ele, e tantos outros grandes inventores e industrialistas responsáveis pelo aumento dos padrões de vida da humanidade, mereceram e desfrutaram de grande riqueza. Deixados livres – sob o Capitalismo – para criar, produzir, e construir para ganho próprio, eles como conseqüência elevaram o padrão de vida de todos.

A Mente

Envolvido nisso está um princípio mais profundo: o Capitalismo é o sistema da mente. A mente é o instrumento fundamental de sobrevivência do homem, assim como as asas o são para os pássaros. É somente por meio do pensamento racional e pelo trabalho produtivo que o homem pode elevar seu padrão de vida e aumentar sua expectativa de vida. Mas a mente não funciona sob coerção. A coerção paralisa a criatividade. A mente não pode ser escravizada. O Capitalismo floresce por que é o único sistema de mentes livres, homens livres e mercados livres.

Os maiores pensadores e ativistas da história – de Aristóteles a John Locke, de Thomas Jefferson a Adam Smith, Ludwig von Mises, e Ayn Rand – reconheceram, lutaram, e glorificaram a liberdade da mente humana. Eles compreenderam que quando os homens são oprimidos, a mente racional é subjugada, e a escuridão do barbarismo se segue. Mas quando os homens são livres para pensar e agir com base no que pensam, quando a mente é liberada, a Renascença e o Iluminismo são possíveis. Liberdade significa liberdade da mente. Opressão significa opressão da mente.

Inevitável

Não é por acidente que os períodos de maior liberdade para o homem presenciaram suas maiores realizações. Desde a Idade de Ouro de Atenas até a Renascença Italiana até as desafiantes descobertas tecnológicas e industriais dos Estados Unidos da América, a liberdade da mente do homem levou a avanços magníficos na filosofia, nas artes e na ciência.

Esta é a promessa e a possibilidade do Capitalismo. Esta é a Visão do Capitalismo. Esta é a nossa visão.

Libertemos a mente do homem e presenciemos o espetáculo de seu avanço. Alegremo-nos com a beleza de suas esculturas, pinturas e sinfonias, vibremos com os heróis de seus romances, maravilhemo-nos de seu avanço filosófico, científico e tecnológico.

O Ocidente progrediu culturalmente e economicamente porque ele teve um mínimo de reverência pela mente humana e pelos direitos inalienáveis do indivíduo. Não se pode escapar destes pré-requisitos do avanço humano. Se nós desejarmos o efeito da Renascença cultural, nós devemos implementar a causa da liberdade política e econômica.

O sofrimento atual dos milhões de indivíduos esfomeados do Terceiro Mundo é idêntico ao da Europa da Idade da Escuridão. Suas mentes e seus corpos estão oprimidos por ditadores políticos. Dê-lhes a liberdade – e dê-lhes a vida. Eles têm a vantagem de ter presenciado o que o Ocidente alcançou. Quando eles tiverem a liberdade poderão replicar os resultados do Capitalismo.

Vossa vida, vossa escolha

O Capitalismo é o maior benfeitor que o homem já teve. Está na hora de os homens e mulheres pensantes de cada nação reconhecerem este fato e abraçarem inteiramente o sistema da mente e dos direitos individuais.

Homens e mulheres de todos os países unam-se – em seu apoio ao Capitalismo.
Você tem a ganhar um mundo de jubilosas realizações.

============================
Tradução: Winston Ling
Fonte: Webarchive

© 2001, 2002 Andrew Bernstein & PRODOS

18 de mai de 2012

Gaggia Baby Class


Depois de um tempo, percebi as limitações do moedor de lâminas. Ele aquece os grãos e deixa uma umidade no fundo, e quanto mais café você fizer, mais umidade fica. Um dia recebi visitas lá em casa, fiz vários cafés em sequência, e cada "lote" deixava mais pó grudado do fundo do moedor. Além do desperdício e da dificuldade de limpeza, percebe-se que o sabor vai piorando, ficando mais amargo, parece que os grãos mais escuros são os que "derretem" primeiro no moedor. Pesquisei e comprei um moedor Krups GVX-2, um moinho "de entrada" que tem um preço acessível no Brasil.

Com isso ficou evidente a limitação dos filtros pressurizados das máquinas de espresso mais simples. Pesquisando novamente, vi que dava para tirar uma borracha do porta-filtro da minha Chef Crema pra experimentar: a diferença foi enorme! Ficou mais encorpado e com uma crema mais consistente. Só que agora era um jato forte e fino, como se fosse saído de uma agulha numa seringa (só que mais forte), pelo furo do parafuso. Não dava pra colocar duas xícaras nem usar xícara pequena porque respingava demais. Também reparei que agora a força usada no tamper fazia diferença, apertar um pouco a mais (ou a menos) mudava a consistência e a quantidade.

Foi então que decidi comprar a Gaggia Baby Class da foto.