10 de mar de 2007

Liberais versus Conservadores



Acho triste essa briga entre defensores do livre mercado por causa de questões religiosas e/ou liberdades pessoais. Já somos poucos e com pouca força nesse Brasil de esquerdistas; se nos dividirmos ficaremos mais fracos. Napoleão consagrou a tática do "dividir para conquistar" nos campos de batalha: estamos usando-a contra nós mesmos.

Temos que encontrar meios de tolerar as diferenças. Não acho que seja produtivo ficar discutindo a definição de "liberal de verdade", ainda mais usando a emoção ao invés da razão para embasar argumentos. Se for imprescindível separar quem é quem, que se usem termos consagrados como liberal-conservador e libertário. Usando a teoria dos conjuntos, podemos dizer que ambas as definições estão contidas no ideal liberal.

Ao contrário do que disse Olavo de Carvalho, existe sim a figura do liberal-conservador: é aquele que acredita no livre mercado e também acredita em religião (geralmente judaico-cristã), tradição, bons costumes, etc. São, por exemplo, os membros de movimentos como o TFP (Tradição, Família e Propriedade) ou os filiados do Republican Party dos Estados Unidos. De modo geral, defendem que o Estado possa ou deva intervir em assuntos de ordem pessoal.

Do mesmo lado da trincheira, defendendo o livre mercado, existem liberais como Rodrigo Constantino, que discordam dos conservadores na questão das liberdades pessoais, acreditando que o Estado não deva intervir em assuntos de ordem pessoal. Alguns são ateus, outros acreditam em outras religiões, alguns são até mesmo de religiões judaico-cristãs mas não-praticantes. Em graus diferentes, defendem ou pelo menos toleram (acreditando que o Estado não deva intervir) coisas como legalização das drogas, união homossexual ou aborto. Esses podem ser chamados de libertários, se for preciso fazer uma distinção dos liberais-conservadores.

O mundo não é preto-e-branco: há ainda os que estão entre os dois. A questão do aborto, por exemplo, é polêmica e merece um capítulo à parte: além das questões religiosas, há a questão filosófica: um feto é ou não é um ser humano? Se sim, ele tem direito à vida e portanto merece a proteção do Estado contra o que seria um assassinato; se não, o aborto seria equiparável à remoção de uma verruga. Há pessoas de boa fé defendendo ambos os lados com argumentos sensatos, de forma que nunca se chegará a um consenso. Por que continuar discutindo?

O mais importante é entender que estamos todos no mesmo barco, defendendo o livre mercado e seus benefícios. Fazendo uma analogia com um time de futebol: se os atletas de Cristo brigarem com os festeiros e um grupo não passar mais a bola para o outro, o adversário vai agradecer - e até, de forma napoleônica, incentivar a briga. É preciso que o time esteja unido e jogue com espírito de equipe, mesmo que depois das vitórias um grupo vá comemorar com orações e o outro vá para um puteiro.

O nome do nosso time é Livre Mercado.

Um comentário:

Eric disse...

Alexsander, concordo que seja triste esta briga entre liberais e conservadores, mas só gostaria de fazer alguns esclarecimentos...
Este "liberal-conservador" ao qual você se refere é na verdade o conservador tradicional do Olavo de Carvalho, que de liberal mesmo só o livre mercado, já que estes conservadores pregam a imposição de suas tradições... Mas existe sim o liberal-conservador. É aquele liberal religioso e tradicional, que não defende que a sua religião e tradição devem ser impostas, afinal de contas, Jesus nunca quis obrigar ninguem a aceitar sua doutrina. "liberais (...) alguns são até mesmo de religiões judaico-cristãs mas não-praticantes" uma coisa não tem nada a ver com a outra! Você pode muito bem ser ultra religioso e ser um liberal! O liberal religioso pode querer transmitir sua religião para outras pessoas, mas não de forma coerciva, não tendo que usar o Estado para este fim. Conservadores poderiam se unir com liberais, mas para isso deveriam deixar de lado suas posições autoritárias... Um exemplo do que eu falei aí em cima é o Lucas Mendes, católico e libertário: http://www.austriaco.blogspot.com/