20 de out de 2006

O Problema das Estatais

Estatais podem ser boas ou ruins, como qualquer empresa. No entanto, independente de seu resultado operacional ou de seu desempenho na Bolsa de Valores, as Estatais apresentam problemas que afetam o Estado como um todo. Vou me concentrar em dois deles.


Geralmente as Estatais são abarrotadas de CC (Cargos em Comissão) e viram cabide de emprego para os Amigos do Rei - parentes e correligionários dos governantes. Esses cargos acabam sendo usados - por todos os governos, de todos os partidos - como moeda de troca: compram votos no Congresso, compram apoio, compram silêncio. Isso é uma deturpação do verdadeiro objetivo de uma empresa pública, pois ela passa a servir apenas a um grupo de privilegiados em detrimento de toda uma nação de contribuintes.

Além disso, Estatais também acabam sendo usadas para desvios (ou no mínimo desperdício) de dinheiro público. São patrocínios esportivos e culturais de gosto duvidoso, contratos de publicidade em publicações que defendem o governo, projetos de ONG's de laranjas de utilidade questionável, licitações dirigidas, etc. Em alguns casos é roubo puro e simples; em outros, são os eternos Amigos do Rei que são beneficiados. A máquina pública gira milhões na economia, mas esse dinheiro sempre vai parar nas mãos dos suspeitos de sempre.

Em empresas privadas também há cabides de emprego, mas quem está sendo lesado é o dono da empresa. O dinheiro é dele, se ele quiser pagar um salário milionário pro genro aparecer na empresa uma vez por ano, que pague. Também há patrocínios, publicidade, projetos de ONG's e compras em empresas privadas - mas outra vez, a vítima é o patrão. Se ele quiser patrocinar um time de futebol do interior do Tocantins na Série C, colocar um anúncio de página inteira na revista Caras ou comprar 10 ambulâncias custando 1 milhão cada, que faça! O dinheiro é dele, quem vai ser prejudicado são os acionistas e talvez seus herdeiros. Ninguém tem nada com isso.

Tenho certeza que mais da metade das Estatais do Brasil poderiam ser perfeitamente privatizadas, reduzindo o déficit público. No entanto, a esquerda criou o mito de que privatizar é ruim, assim como criou o fantasma da direita maléfica. Privatizar virou palavrão, os políticos morrem de medo de ser chamados de privatistas. Espero que um dia alguém tenha a coragem de dizer a verdade: privatizar é bom para o Brasil.

2 comentários:

diozen disse...

eu só nao vejo aonde vai parar o dinheiro da privatização... pagar deficit publico, divida externa ou por no bolso de camaradas.

bom é relativo.
Pra mim iria gostar que fosse privatizada pra capital privado brasileiro, pelo menos o dinheiro tem a probabilidade de circular mais aqui.

afinal eles(estado) vendem as empresas com dinheiro que eles mesmo emprestam, afinal há na iniciativa privada brasileira gente capacitada.

Alexsander disse...

Há mil maneiras de privatizar. Até fazer uma IPO já é um bom começo.